Rota de carro de 3 dias no Alentejo português

Embora nossa escapadela de outono começou a partir de Málaga, o que nos serviu para dormir e conhecer a bonita Aracena ( Huelva), vou resumir os três dias de viagem por baixo Alentejo Português e os lugares que visitamos durante a nossa pausa familiar. Uma região portuguesa muito tranquila e com um grande patrimônio natural, natural e paisagístico, pequenos vilarejos charmosos, cheios de história, gastronomia contundente e muito boa gente, que isso, em Portugal, vão sobrados. Mas também conta com importante número de monumentos megalíticos, parques naturais, turismo activo ou muita natureza, que inclui algumas das praias selvagens mais bonitas da Europa. Se você decidir visitar esta região portuguesa, salienta bem fortes e estas visitas, que você não pode perder no baixo Alentejo.
– Évora
Pode ser que seja a cidade mais famosa desta parte de Portugal e encantos não lhe faltam a Évora, de facto, é Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, devido ao seu grande interesse histórico e cultural: um aqueduto, muito bem conservado, um centro histórico amuralhado, um templo romano, ruas e até uma arrepiante capela cheia de ossos….. Sem dúvida Évora é a jóia do alentejo.
– Beja
A capital do baixo Alentejo, fundada pelos romanos sob o comando de Júlio César, conta com um amplo centro histórico, um belo castelo medieval, igrejas antigas, atrações, museus e muitas compras. Beja é uma boa opção se você quiser percorrer o baixo Alentejo, já que está a meio caminho de tudo e seu povo é simpático e acolhedor.

– Serpa
A uma curta distância de Beja fica esta bela cidade murada, que me surpreendeu por sua calma e por seus cuidados monumentos: centro histórico amuralhado, castelo medieval, aqueduto do século XVII, bonitas igrejas e a torre do relógio, o símbolo da cidade. Mas há também em Serpa casas palacianas e de vários museus, como o etnográfico e o Museu do Relógio. Para comer não se esqueça de provar os famosos queijos de ovelha ou azeite de oliva.
– Monsaraz
Uma cidade de conto e talvez uma das visitas estrelas do Alentejo e a sua posição no alto de um monte e seu pequeno centro urbano murado e pavimentação fazem de Monsaraz um dos povos mais visitados da região. Vila Encantadora, que merece ser visitada e com a vantagem de que, ao ser pequena em um par de horas estará pronto.
– Mértola
Às margens do rio Guadiana, emerge uma linda cidade murada, protegida por um castelo, ruas, com casas brancas e vários museus que descobrir o visitante. E é que Mértola, embora não tenha muito nome, é uma opção muito boa para descobrir cidades tranquilas e com charme, já que ao ter menos visitantes do que em outras populações, a experiência é mais autêntica possível.
– Pulo do lobo
O Parque Natural Vale Do Guadiana, com mais de 70.000 hectares, conta com vales, serras e amplos montados de azinheiras, mas sobressai o acidente geomorfológico mais fantástico do Alentejo: a cachoeira do Pulo do lobo, ou o que é o mesmo, o passo do rio Guadiana entre formações rochosas, que incluem um salto de 14 metros de altura. Chegar lá não é fácil e aconselho seguir com o carro até o final ( mesmo tem que abrir trilhos do caminho e continuar dirigindo por uma estrada de terra), a menos que queiram fazer um bom tempo de caminhada. Uma vez chegados à cachoeira, o cenário é espetacular, mas cuidado, se você vai com crianças, já que não há barreiras de proteção e o terreno é perigoso. Alertar que de acordo com a época e o leito do rio, a estampa será mais ou menos espetacular.
– Ruínas do convento de San Cucufato
A villa romana de São Cucufato, perto da vila de Vidigueira, é considerada como “a melhor residência rural romana de Portugal” e é mais um dos incríveis lugares que guarda o Alentejo. Não está claro quando os frades ocuparam a antiga villa romana do século I, mas sabe-se que séculos depois se construiu um mosteiro dedicado a São Cucufato. Se você gosta de história e arqueologia, este é o seu lugar. O primeiro domingo de cada mês a entrada ao recinto arqueológico é grátis.

– Cromlech de Xerez
Não é o que têm os monumentos megalíticos que tanto me atraem e me deixam estarrecido. Talvez o fato de me fazer tantas perguntas e não encontrar a resposta faz com que esses lugares sagrados de nossos antepassados me fascinen, e o Cromlech de Jerez junto ao povo de Monzaraz não podia ser menos. É um dos sítios mais importantes de toda a Europa e tem uma magia e uma vibração que o tornam especial. Além disso é gratuito.
– Gastronomia Alentejana
Um dos atrativos desta região portuguesa é a gastronomia, e por isso que muitos clientes entram nestas terras adjacentes com a península ibérica ( bem, diria que Portugal é famoso pelo seu bom comer). Gastronomia humilde e forte, com produtos simples que dá a tieera mas que deixam um mais do que satisfeito. O óleo e seus queijos são famosos, o bacalhau está sempre presente, assim como os ensopados, sopas e feijoadas ( feijão ). Em Monsaraz comi um bom bacalhau à braz Ou Alcaide e Ou Salvador ( Mértola), gostei muito de um restaurante humilde, mas cheio de sabor.
– Para dormir no Alentejo decidimos fazê-lo em Beja, no apartamento Pax Júlia, em um amplo apartamento no centro da cidade, onde nos trataram muito, as boas críticas na internet por algo. A dona entrou em contato comigo via e-mail, informou-me e até me recomendou lugares para comer e ver em Beja. Muito atenciosa com o cliente e isso é gratificante. Talvez por esse tratamento personalizado, os apartamentos turísticos estão levando vantagem em relação aos hotéis, muitos deles frios e impessoais. Quando viajar com crianças, cada dia eu gosto muito mais a opção de ficar em apartamentos a amplitude e conforto, para não falar de que um hotel costuma sair mais caro se você for com a família ou o grupo é grande. Se você quiser mais opções para dormir no Alentejo, lançai um olhar para a qualidade do Hotel.
E até aqui a nossa pequena rota de carro por baixo Alentejo Português, uma área fantástica e com tantas possibilidades que eu amava. Eu acho que quanto mais visito Portugal, mais eu gosto…..

Embora nossa escapadela de outono começou a partir de Málaga, o que nos serviu para dormir e conhecer a bonita Aracena ( Huelva), vou resumir os três dias de viagem por baixo Alentejo Português e os lugares que visitamos durante a nossa pausa familiar. Uma região portuguesa muito tranquila e com um grande patrimônio natural, natural e paisagístico, pequenos vilarejos charmosos, cheios de história, gastronomia contundente e muito boa gente, que isso, em Portugal, vão sobrados. Mas também conta com importante número de monumentos megalíticos, parques naturais, turismo activo ou muita natureza, que inclui algumas das praias selvagens mais bonitas da Europa. Se você decidir visitar esta região portuguesa, salienta bem fortes e estas visitas, que você não pode perder no baixo Alentejo. 
– Évora 
Pode ser que seja a cidade mais famosa desta parte de Portugal e encantos não lhe faltam a Évora, de facto, é Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, devido ao seu grande interesse histórico e cultural: um aqueduto, muito bem conservado, um centro histórico amuralhado, um templo romano, ruas e até uma arrepiante capela cheia de ossos..... Sem dúvida Évora é a jóia do alentejo. 
– Beja 
A capital do baixo Alentejo, fundada pelos romanos sob o comando de Júlio César, conta com um amplo centro histórico, um belo castelo medieval, igrejas antigas, atrações, museus e muitas compras. Beja é uma boa opção se você quiser percorrer o baixo Alentejo, já que está a meio caminho de tudo e seu povo é simpático e acolhedor. 

– Serpa 
A uma curta distância de Beja fica esta bela cidade murada, que me surpreendeu por sua calma e por seus cuidados monumentos: centro histórico amuralhado, castelo medieval, aqueduto do século XVII, bonitas igrejas e a torre do relógio, o símbolo da cidade. Mas há também em Serpa casas palacianas e de vários museus, como o etnográfico e o Museu do Relógio. Para comer não se esqueça de provar os famosos queijos de ovelha ou azeite de oliva. 
– Monsaraz 
Uma cidade de conto e talvez uma das visitas estrelas do Alentejo e a sua posição no alto de um monte e seu pequeno centro urbano murado e pavimentação fazem de Monsaraz um dos povos mais visitados da região. Vila Encantadora, que merece ser visitada e com a vantagem de que, ao ser pequena em um par de horas estará pronto. 
– Mértola 
Às margens do rio Guadiana, emerge uma linda cidade murada, protegida por um castelo, ruas, com casas brancas e vários museus que descobrir o visitante. E é que Mértola, embora não tenha muito nome, é uma opção muito boa para descobrir cidades tranquilas e com charme, já que ao ter menos visitantes do que em outras populações, a experiência é mais autêntica possível. 
– Pulo do lobo 
O Parque Natural Vale Do Guadiana, com mais de 70.000 hectares, conta com vales, serras e amplos montados de azinheiras, mas sobressai o acidente geomorfológico mais fantástico do Alentejo: a cachoeira do Pulo do lobo, ou o que é o mesmo, o passo do rio Guadiana entre formações rochosas, que incluem um salto de 14 metros de altura. Chegar lá não é fácil e aconselho seguir com o carro até o final ( mesmo tem que abrir trilhos do caminho e continuar dirigindo por uma estrada de terra), a menos que queiram fazer um bom tempo de caminhada. Uma vez chegados à cachoeira, o cenário é espetacular, mas cuidado, se você vai com crianças, já que não há barreiras de proteção e o terreno é perigoso. Alertar que de acordo com a época e o leito do rio, a estampa será mais ou menos espetacular. 
– Ruínas do convento de San Cucufato 
A villa romana de São Cucufato, perto da vila de Vidigueira, é considerada como "a melhor residência rural romana de Portugal" e é mais um dos incríveis lugares que guarda o Alentejo. Não está claro quando os frades ocuparam a antiga villa romana do século I, mas sabe-se que séculos depois se construiu um mosteiro dedicado a São Cucufato. Se você gosta de história e arqueologia, este é o seu lugar. O primeiro domingo de cada mês a entrada ao recinto arqueológico é grátis. 


– Cromlech de Xerez 
Não é o que têm os monumentos megalíticos que tanto me atraem e me deixam estarrecido. Talvez o fato de me fazer tantas perguntas e não encontrar a resposta faz com que esses lugares sagrados de nossos antepassados me fascinen, e o Cromlech de Jerez junto ao povo de Monzaraz não podia ser menos. É um dos sítios mais importantes de toda a Europa e tem uma magia e uma vibração que o tornam especial. Além disso é gratuito. 
– Gastronomia Alentejana 
Um dos atrativos desta região portuguesa é a gastronomia, e por isso que muitos clientes entram nestas terras adjacentes com a península ibérica ( bem, diria que Portugal é famoso pelo seu bom comer). Gastronomia humilde e forte, com produtos simples que dá a tieera mas que deixam um mais do que satisfeito. O óleo e seus queijos são famosos, o bacalhau está sempre presente, assim como os ensopados, sopas e feijoadas ( feijão ). Em Monsaraz comi um bom bacalhau à braz Ou Alcaide e Ou Salvador ( Mértola), gostei muito de um restaurante humilde, mas cheio de sabor. 
– Para dormir no Alentejo decidimos fazê-lo em Beja, no apartamento Pax Júlia, em um amplo apartamento no centro da cidade, onde nos trataram muito, as boas críticas na internet por algo. A dona entrou em contato comigo via e-mail, informou-me e até me recomendou lugares para comer e ver em Beja. Muito atenciosa com o cliente e isso é gratificante. Talvez por esse tratamento personalizado, os apartamentos turísticos estão levando vantagem em relação aos hotéis, muitos deles frios e impessoais. Quando viajar com crianças, cada dia eu gosto muito mais a opção de ficar em apartamentos a amplitude e conforto, para não falar de que um hotel costuma sair mais caro se você for com a família ou o grupo é grande. Se você quiser mais opções para dormir no Alentejo, lançai um olhar para a qualidade do Hotel. 
E até aqui a nossa pequena rota de carro por baixo Alentejo Português, uma área fantástica e com tantas possibilidades que eu amava. Eu acho que quanto mais visito Portugal, mais eu gosto.....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *