Informações, dicas e conselhos para viajar para as ilhas Perhentian

Se em nosso último post falamos sobre a minha paixão pelo Málaga, da minha querida cidade, hoje nós vamos ir para um paraíso que fica a milhares de quilômetros de distância e que tivemos a sorte de conhecer em primeira pessoa: as idílicas Ilhas Perhentian, na Malásia. Um lugar onde você vai relaxar, desfrutar do sol, de suas praias de águas azul-turquesa, entardeceres mágicos e de seus extraordinários fundos marinhos, um dos mais ricos do planeta. ( eu me lembro que já publicamos um artigo sobre o snorkel nas ilhas Perhentian). A saltar dorme que diria meu avô, e não fazer nada.
No fim, como em nossa viagem para a Malásia já tivemos algumas grandes cidades, tocava relaxante em uma das melhores ilhas do mundo para mergulhar, relaxar e fazer bem pouco. E como os meus dias lá foram, apesar de que iríamos relaxar, intensos e cheios de situações, vou dar-vos alguns dados práticos e alguns avisos e conselhos que vos virá muito bem se decidís colocar as vossas posaderas nas Perhentian, porque embora sejam um verdadeiro paraíso selvagem, também têm seu lado negativo.
Onde estão
As ilhas Perhentian estão situadas a nordeste da Malásia, no estado de Terengganu, um dos mais conservadores do país e cerca de 10 milhas da costa. Sua beleza trouxe um certo desenvolvimento, mas ainda mantém esse espírito de lugar virgem, selvagem e pouco explorada pelo turismo de massas. Em poucos lugares do mundo que você pode ver fundos marinhos tão exuberantes, recifes de coral, peixes exóticos, tartarugas gigantes ou você pode nadar com tubarões, em teoria, tranquilos e inofensivos. As ilhas pertencem ao Parque Nacional Marinho Pulau Redang por isso que a pesca, a coleta de corais e os desperdícios são proibidos, mas isso é teoria, mais do que qualquer outra coisa que já vi muito lixo mesmo no fundo do mar. Antes de entrar no parque marinho há que pagar uma taxa de 5 dólares, mais o transporte em lancha mais outros dois dólares porque se mudam de lancha antes de chegar à ilha. Viva o turismo!.

– Como chegar e avisos ao reservar
Costuma-Se chegar de avião Kota Bharu, o aeroporto mais próximo às ilhas e depois por terra até Kuala Besut. Nós pegamos um trem noturno de Kuala Lumpur ( 47 -53 euros e é importante reservar um dia antes, na estação central de Kuala Lumpur), que demorou 12 horas para chegar à estação de Tanah Merah, o mais próximo possível de Kuala Besut, a cidade costeira de onde partem os barcos para as ilhas paradisiacas. A verdade é que o percurso foi muito bom, as camas não estão nada mal, e pode descansar razoavelmente bem. Um par de paragens antes de chegar ao destino subiu um tipo e falamos com ele, os preços dos táxis até o cais ( quase 1 hora de distância), mas não concretamos nada. Ao descer do trem nos é colado como uma lapa e ao ver as poucas opções disponíveis, vamos em um táxi amigo.
Uma vez em Kuala Besut tomamos café da manhã e o cara quer vender as passagens de barco, nos segue até as agências de viagem, pesa-e até mesmo ameaça para as agências que entramos para que não nos reserve hotel. Parece que tudo, há que fazê-lo com ele. O comando para fritar pimentões já que a paciência se me esgota e tiramos o bilhete de barco de ida e volta em uma agência local. Para dormir, as máfias não nos deixam reservar em nenhuma agência de Kuala Besut assim que o faremos no site.

Quando ir
É importante saber em que data é possível ir às Perhentian e no que é melhor esquecer. O melhor momento para visitá-los entre os meses de Abril e Setembro, já que, em teoria, o tempo está bom e é ideal para desfrutar do paraíso, todo o contrário é que entre novembro e março, quando a monção faz a sua aparição e a maioria dos alojamentos fechadas devido ao mau tempo e a pouca afluência de turistas. Para essas datas é melhor a costa ocidental da Malásia.
O Que a ilha escolho?
Uma boa pergunta que será o primeiro que você terá que decidir quando quer que vá. As duas ilhas principais são Perhentian Kecil, a mais pequena, e Perhentian Besar, a maior. Nas ilhas quase tudo é virgem e selvagem, não há estradas, a eletricidade é a base de geradores e muitos hotéis não têm água quente. Basicamente, e indo direto ao ponto, na pequena ilha há alojamentos mais baratos, mais infra-estruturas, escolas de mergulho, restaurantes, mais festa e muito mochileiro. Na ilha grande são as acomodações mais exclusivas, mais caros, há muito mais tranquilidade e é onde vão muitos casais ou famílias que procuram menos ruído e mais intimidade. Vós mesmos. Nós escolhemos Kecil, a pequena ilha e, mais especificamente, da praia de Long Beach, onde há mais alojamentos baratos e ambiente. A parte oeste de Kecil, Coral Bay, também tem tração e é mais tranquila que em long beach, e até mesmo em kecil existem resorts totalmente isolados em outras partes da ilha para os que gostam de ser robinsones. De todos modos mover-se entre as ilhas não é complicado, já que sempre há algum proprietário de barco que vos irá levar para onde quiser em troca de uns ringgit.
Fauna e flora
Um dos fundos marinhos mais ricos do mundo, oferece ao visitante imagens chocantes debaixo de água, com recifes de corais, tartarugas, tubarões de recife, peixes-palhaço, barracudas e centenas de espécies que fazem com que a experiência sob a água seja inesquecível. Em terra, você verá lagartos de todos os tamanhos, mosquitos para aborrecê-lo e macacos espalhados pela selva.
Imprescindível
– Fazer um tour de Snorkel e nadar com os tubarões ou as tartarugas gigantes.
– Visitar outras praias menos visitadas da ilha ( a pé ou em water taxi).
– Usar protector solar e repelente.
– Fazer uma caminhada pela parte oeste de kecil para descobrir praias de sonho.
– Se você gosta de mergulhar, fazer um curso ou mergulhos em seus fundos marinhos.
– Ver um pôr-do-sol Coral Bay.
Dicas e precauções
Como vi coisas que não gostei pensei em recopilarlas, para que vades evitados se algum dia você quiser desfrutar do paraíso. Um paraíso onde, por certo, trabalham alguns espanhóis que nos advertiram e aconselharam bem. Lá vou:
– O serviço, em geral, os trabalhadores da ilha para os visitantes é muito limpo e bem organizado. Vi atitudes negativas, pasotas, tratamento rude e desprezo ao turista. Que não se agasajen como em outras partes do mundo o entendo, mas não pode ser que estejam com chulería e arrogância ( aqui o sorriso o turismo não o conhecem).
– Quando chega a noite, há que ter cuidado, principalmente se você é mulher e gosta de viajar sozinha. Tivemos uma experiência muito estranha, com uma menina alemã, que não voltamos para ver depois. Os homens aqui, o álcool e seus olhares e gestos para as mulheres estrangeiras que não me agradaram em nada ( de fato leimos no Lonely Planet casos de desaparecimentos e violações a mulheres….).
– O escasso wi-fi, que chega a ilha é ruim e intermitente. A maioria dos alojamentos não o oferece e os que o têm, se aproveitam disso subindo preços e alterando a senha para que não abusemos dele.
– Não há caixas nas ilhas bem que tem o dinheiro suficiente para não passar apuros.
– Mentalizate de que a ilha há bichos, insetos, lagartos e como não, mosquitos.
– É um país muçulmano e há que respeitar as suas crenças. O topless é absolutamente proibido.
– O lixo e os desperdícios são muito controlados e a cada dia são expulsos em barcos para as ilhas. Mesmo assim, vi zonas muito sujas, abandonadas e pouco cuidadas.
– Os melhores preços de mergulho estão em Coral Bay, e os melhores preços de alojamento estão em long beach.
– Me deu pena ver lixo no fundo do mar. A própria guia os ia recolhendo enquanto fazíamos snorkel.
– O álcool é caro, embora fácil de encontrar na pequena ilha. Na ilha grande há alguns lugares onde o servem.
– Há uma trilha de aproximadamente 10 minutos que une long beach com Coral beach, no oeste de Perhentian Kecil.
– Leve lanterna, porque à noite parece muito pouco.
– Cuidado com os roubos em praias desertas.
– Preste atenção ao passear pelas praias já que as âncoras dos navios e das marés são muito traiçoeiras e pode ter algum percalço.
– Há pequenos peixes extremamente territoriais e se dedicam a dar petiscos para os incautos curiosos que, como nós, invadimos a cada dia suas águas.
– Paciência na hora das refeições aqui são muito lentos. De fato não trazem nem a conta em muitos sites, e você tem que ir a pagar à caixa.
– Só há uma clínica e está em Kecil village, pequena cidade ao sul da pequena ilha onde vive a população local.
Até aqui a informação prática e algumas recomendações que não há que esquecer se você decidir ir para as Perhentian, uma verdadeira jóia da ilha, mas que há que ir tomando certas precauções, já que tem seus pontos escuros. Nos próximos artigos falaremos de onde ficar, onde comer e o que fazer neste éden tropical. E lembre-se, você vai a um paraíso sem luxos e confortos, onde a natureza selvagem e virgem é a que manda, mas que em troca lhe dá algo que poucos lugares oferecem: desfrutar de um dos melhores destinos de praia e mergulho do mundo.

Informações, dicas e conselhos para viajar para as ilhas Perhentian

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *